Ducati 916 Cafe Racer da SR Corse

COMPARTILHE

Imagine a responsabilidade imensa em modificar uma motocicleta considerada uma da mais belas e exclusivas já construídas pela fabricante que comumente é chamada de Ferrari das duas rodas. E como se não bastasse, projetada por Massimo Tamburini, considerado uma espécie de Michelangelo (em referência ao famoso artista italiano) da arte no desenho de motocicletas.

Pois foi justamente este desafio casca grossa que Sebastián Rochón da SR Corse topou e levou adiante sem pestanejar. Modificar uma icônica Ducati 916, modelo esportivo da italiana Ducati, fabricado de 1994 a 1998. Entre os modelos mais antigos até edições especiais como a Ducati 916 Senna, os valores, mesmo mais de 20 anos depois, podem chegar a mais de R$ 50.000 em uma moto que já é considerada uma legítima peça de colecionador.

O motor V 90° injetado de 916cc tem quase 110 cavalos e pode chegar a mais de 250 Km/h.

Se alguém poderia executar tal trabalho por aqui, em terras brasileiras, esse alguém com certeza teria de ser Sebastián, nascido uruguaio e de coração paulistano que tem uma longa história e um incrível trabalho com motos europeias. Você pode conferir a ótima entrevista com Sebastián onde conta sua história e dá muitas dicas para quem quer ou já trabalha com motos.

Ducati 916 SRC: uma cafe racer a partir de uma motocicleta icônica.

O trabalho partiu de uma Ducati 916 1994 biposto (os primeiros modelos) com a premissa do cliente de algo com uma pegada retrô. Entre as opções, Sebastián optou por uma cafe racer com uma levada um pouco mais moderna, mantendo tudo de bom e do melhor que o modelo original já oferecia. Uma referência do próprio cliente era a MV Agusta Superveloce 800, principalmente em termos de carenagem frontal.

Ducati 916 biposto 1996, semelhante a 1994 utilizada como base para o projeto.
MV Agusta Superveloce: referência do cliente para a frente.

Restaurar a moto original, pelo menos por aqui, teria valores proibitivos e ficaria inviável. Mas muitas características do modelo foram mantidas como o escapamento saindo por debaixo da rabeta. Só que dessa vez em uma ponteira única. O tanque é exatamente o mesmo. Porém foi alongado e modificado para desenhar a linha reta característica de tanque e banco.

Comparativo: uma Ducati 916 biposto 1996 e a 916 SRC cafe racer

Muitas coisas ganharam uma modernização e upgrade. A suspensão dianteira é da Ducati 848. O amortecedor de direção é da Ducati 999. Os coletores de ar para refrigeração dos discos foram projetados e impressos em 3D. Sub chassi, aranha da carenagem e suporte do painel foram construídos especialmente para ela em alumínio. O mesmo tratamento, em alumínio, foi dado aos punhos elétricos que foram projetados especialmente para a moto.

Uma curiosidade é que praticamente toda a parte elétrica, inclusive a bateria, foram parar na frente da moto, escondidos na nova carenagem frontal. Falando em modernidade, a beldade ganhou partida com sensor de presença.

Um trabalho de extremo bom gosto e o devido cuidado e carinho em se tratando de uma motocicleta icônica.

Sebastián humildemente pede desculpas a Massimo Tamburini por interferir em uma de suas principais criações. Mas a gente acha que Tamburini aprovaria com louvor!

Assista ao vídeo com imagens e os detalhes da construção da Ducati 916 Cafe Racer SRC:

Conte pra gente o que achou da motoca! Você teria essa coragem e ousadia? Gostou do resultado? Só descer a mão nos comentários.

Fotos: André Santos Fotografia (@andresantosfotografia)

SERVIÇO

SR CORSE
http://srcorse.com.br
Facebook SR Corse
Instagram SR Corse (@s_r_corse)
Rua Isabel de Castela, 106
Vila Madalena – São Paulo/SP
Telefone 1: (11) 3903-5968
Telefone 2: (11) 7744-7199
E-mail: srcorse@srcorse.com.br

COMPARTILHE