Moto Customizada do Ano Motocultura 2019

COMPARTILHE

Motocultura tem como um de seus pilares, desde o início, promover e divulgar o trabalho de profissionais da customização no país. Mas, além disso, a ideia é dar espaço e visibilidade principalmente para novas gerações e novos talentos do meio. Uma das iniciativas neste sentido é o Concurso de Customização Motocultura que, em 2019, teve sua terceira edição realizada. De 40 inscrições, 10 motocicletas foram para a final de onde saiu a grande vencedora.

Por questões geográficas, a maioria das motocicletas inscritas eram de São Paulo e região. Nesta última edição, todos os estilos eram permitidos e concorreram em duas etapas classificatórias e uma final. As duas classificatórias foram realizadas no Rockers Self Garage na cidade de São Paulo.  Já a grande final aconteceu no evento, dedicado aos hot rods e customização, Hot Rods Brasil em São Bernardo do Campo (SP). Todas as inscrições realizadas via internet foram analisadas por Motocultura que selecionou os projetos mais interessantes para concorrerem nas classificatórias. Neste processo, 18 motos foram analisadas ao vivo por um corpo de jurados profissionais de customização. Destas, as 10 com maiores notas foram para a final. Porém, só as que compareceram ao evento presencial da final concorreram ao título já que seriam analisadas novamente pelos jurados.

Durante as classificatórias e final os jurados atribuíram notas de 0 a 10 a quatro quesitos para cada moto:

Soluções técnicas: o quanto de trabalho (e a qualidade dele) envolveu o projeto

Originalidade: o quanto o trabalho saiu do lugar comum, da receitinha de bolo e trouxe algo novo e diferente

Acabamento: o cuidado e capricho com os detalhes

Conjunto: a harmonia, o conceito e o look and feel do projeto como um todo

Os quesitos foram utilizados e definidos para tentar evitar o gosto pessoal de cada jurado, tendo assim uma característica mais técnica. Por exemplo: um jurado poderia até não ser fã do estilo cafe racer, mas seria completamente capaz de identificar a dar uma nota justa para soluções técnicas, percebendo o quanto de trabalho houve para modificar a motocicleta independente simpatizar com o estilo ou não.

As 5 motocicletas com maiores notas somadas em cada etapa foram classificadas para a final. Conheça agora as 10 motos com as melhores notas.

As classificadas finalistas

Sundown 200

Projeto da Amparo Motos

Honda CB 450 Cafe Racer “Cherry Coffee”

Projeto de Luiz Fernando

Honda CB 400 “Dondoca”

Projeto de Eduardo Kim

Veja mais fotos e entrevista na matéria sobre a “Dondoca”

Honda CB 1300 Street Tracker

Projeto da Corona Customs

Veja mais fotos e entrevista sobre a CB 1300 da Corona

Honda NX350 Sahara Scrambler

Projeto da Storm Motorcycle

Honda CB 750 Four

Projeto de  Fabio Astolpho

Honda ML 125

Projeto de Santiago Cafe

Honda CX 500

Projeto de Clóvis Marchetti

 

Chopper Custom 125

Projeto de Baydyr Zacharias

Honda CBX 750 F

Projeto da Grego’s Customs

Os Jurados

Motocultura convidou customizadores talentosos estabelecidos e  com trabalhos distintos, da nova e velha geração, para que avaliassem as motos:

Billy Pasqua da Benta  Handmade, Renato Frateschi da Frateschi Garage, Alexandre Porto da Lasagna Customs, Sebastián Rochón da SR-Corse Meccanica, Paulo Correa da B.$ide Works, Ricardo Medrano da Johnnie Wash e Villis da Villis Design Bagger Brasil.

As vencedoras

A tarefa de eleger a Moto Customizada do Ano coube aos jurados Ricardo Medrano, Villis e Paulo Correa. Os três, novamente, analisaram as motocicletas presentes no Hot Rods Brasil, ocasião da final, e atribuíram notas de 0 a 10 a três dos quatro critérios definidos anteriormente: soluções técnicas, originalidade e acabamento. E eis o resultado (bem apertado):

Primeiro Lugar

Honda CBX 750 F da Grego’s Customs

Soluções técnicas: 7,6
Acabamento: 7,0
Originalidade: 6,8
MÉDIA FINAL: 7,1

 

Segundo Lugar

Honda CB 1300 Street Tracker da Corona Customs

Soluções técnicas: 6,5
Acabamento: 6,6
Originalidade: 7,6
MÉDIA FINAL: 6,9

Veja mais sobre a moto

Terceiro Lugar

Honda CB 400 “Dondoca” de Eduardo Kim

Soluções técnicas: 5,8
Acabamento: 6,5
Originalidade: 7,3
MÉDIA FINAL: 6,5

Veja mais sobre a moto

Que tal o resultado? Qual sua moto favorita? Não falamos muito no detalhe aqui sobre as motocas pois nossa intenção é fazer um material bacana e mais completo sobre cada uma delas na sequência.

A surpresa dessa edição é que a Grego’s Customs acabou se tornando bicampeã. Outra Honda CBX 750 F, do mesmo customizador, foi a campeã de 2018.

Motocultura agradece demais a todos que participaram, auxiliaram de alguma forma e apoiaram a realização da terceira edição. E vem novidade por aí. Em 2020 as coisas vão ser um pouco diferentes e logo mais a gente conta!

De qualquer forma o que a gente espera mesmo é que, independente de notas e colocações, é que todos os customizadores que participaram ganhem um pouco mais de visibilidade e reconhecimento e possam mostrar seu trabalho por esse Brasil afora, se destaquem e cresçam para poderem continuar fazendo o que fazem bem, que é modificar com criatividade e paixão as motocicletas que a gente tanto ama. Nos vemos na próxima edição!

Fotos: Santiago Cafe, Alek Ribeiro e arquivos pessoais