Royal Enfield Continental GT e Interceptor 650 Customizadas

COMPARTILHE

Em novembro de 2019 a Royal Enfield apresentou formalmente ao mercado brasileiro, na ocasião do Salão das Duas Rodas, sua mais recente aposta na estratégia de ganhar o mercado de motos de média cilindrada mundo afora. Um motor bicilíndrico inédito e especialmente concebido para tal ,de 648cc refrigerado a ar e óleo, é o coração das Continental GT e das Interceptor 650. A premissa continua a mesma dos modelos já em voga: simplicidade e estilo old school remetendo às clássicas dos anos 50 e 60 e um mesmo quadro e motor dando a luz a duas motocicletas praticamente iguais com algumas pequenas diferenças primordialmente estéticas.

Ambas remetem às suas irmãs mais velhas dos anos 60 de mesmo nome: a Continental 250 e a clássica Interceptor 750.

Continental GT 650: a versão do Surfista Prateado. Linda.
Interceptor: a mesma motoca com espaço pro garupa, guidão mais alto e um tanque diferente. A preferida dos casais, provavelmente.
Continental GT 250: a velhinha homenageada pelo novo modelo
Interceptor 750 do tempo do Flower Power: também ganhou releitura nova.

A nova Continental lembra muito a monocilíndrica GT535 da mesma fabricante em uma versão mais parruda e na inspiração cafe racer com semi guidões e posição de pilotagem mais agressiva. Já a Interceptor 650 é praticamente a mesma moto com uma vaguinha pro garupa e um guidão convencional em uma posição mais confortável de pilotagem. A filosofia do novo motor continua fiel as convicções da marca indiana: cavalaria modesta, robustez e torque pra dar e vender na maior faixa possível de rotações.

A ideia, como de costume, é prazer de pilotar e docilidade com todo tipo de piloto. Um prato cheio para iniciantes e também para aqueles que curtem um estilo clássico e não querem, e nem precisam, provar nada pra ninguém em cima de um motor super potente e moderno. Os preços anunciados em novembro de 2019 são a parte mais interessante pra quem tem sempre custo benefício na cabeça: Interceptor a partir de R$ 24.990 e Continental GT começando em R$ 25.990.

O novo motor nasceu ainda em 2017 e as 650 já rodam na Índia desde 2018. A moto como um todo foi concebida na Inglaterra no moderno centro de desenvolvimento da Royal em Leicestershire. A recepção geral desde então tem sido boa já que, em suma, o que se fala é que as motocicletas tem o desempenho na medida certa, são fáceis e divertidas de conduzir e tem um acabamento bacana sem pesar na conta bancária. Algumas críticas apareceram em relação a suspensão das motocas fazendo piadinha de que foi na suspensão onde a fábrica resolveu economizar pra entregar a moto por um bom preço. Como a gente não andou, temos de confiar nas palavras de alguns meios especializados como a Motorcycle News. Mas assim que conseguirmos roubar uma, a gente conta direitinho pra vocês e tira a limpo essa história.

As motos ainda não estão disponíveis mas já há um site de pré-reserva da própria Royal.

Mas chega de blá, blá certo? A gente está aqui pra falar de customização e outras coisas legais sem ficar papagaiando e esmiuçando especificações técnicas. Quem gosta de especificação é só ir no site da marca que está tudo mastigadinho lá. A gente economiza copy paste, economiza energia elétrica e todo mundo fica feliz.

Vamos ao que interessa. As duas motos, pra quem curte a pegada clássica, são lindas. O quadro de aço tubular super simples e reto é a alegria de todo customizador pois é muito mais fácil de trabalhar. O motor é um show a parte, lindíssimo.

Quadro sem complicação: a velha fórmula (só que mais moderna) da UJM (Universal Japanese Motorcycle). Fácil de trabalhar.

O novo motor com dois canecos: uma obra de arte à parte. Podiam vender só ele como objeto de decoração.

 

“Ah, mas a moto tá pronta gente, não precisa fazer mais nada. É uma “cafe de fábrica” e coisa e tal. Nhém, nhém, nhém.”

Sim, isso é verdade. Você pode comprar a motoca e andar com ela do jeitinho que saiu da linha de montagem que também vai fazer bonito. Você e mais 1,4 bilhões de pessoas (…é uma brincadeira com a população da Índia. Não se irrite!). Mas o que a gente gosta mesmo é ver o que dá pra fazer. E, rapaz, tem muito customizador mundo afora arrebentando com as novas 650. O que será que a rapaziada aqui no Brasil vai aprontar hein?

Enquanto as 650 não encaram a serra de corte por aqui, se liga na pequena listinha da gringa.

 

Moose Project Street Tracker

Da Zeus Custom

Veja mais fotos

Twins FT Flat Tracker

Da Harris Performance em parceria com a Royal

Veja mais fotos

Midas Royale

Da Rough Crafts

Veja mais fotos e vídeo

Continental GT K-Speed

Da K-Speed

Veja mais fotos

Sinroja R18 Drag Bike

Da Sinroja

Veja mais fotos

Continental GT Vigilante

Da Rajputana Customs

Veja mais fotos

The Prime Project

Da Zeus

Veja mais fotos

Rohini

Da Young Guns

Veja mais fotos

Continental GT

Da Rogue

Veja mais fotos

Como o modelo ainda é relativamente novo pelas bandas ocidentais, não dá pra encontrar projetos saindo pelo ladrão com as novas 650. Aliás, deixamos alguns projetos meio estrambólicos de fora da lista. Mas se você der uma busca na internet vai achar uma ou outra coisinha. A questão é que as 650, ao que tudo indica, parecem ser uma base bem bacana pra projetos de customização em função de sua simplicidade, robustez e preço. Imagina a festa entre os customizadores quando aparecer o mercado de usadas. E então? Qual a sua favorita? Achou tudo um horror? Achou tudo lindo? Será que nossos talentosos customizadores vão fazer nosso queixo cair com elas? Esquecemos de algum projeto super legal e ele não está na lista? Conta tudo pra gente!

 

COMPARTILHE