Ducati Zero – O possível futuro elétrico da Ducati

COMPARTILHE

A Ducati Zero foi uma motocicleta elétrica conceito desenvolvida por dois estudantes da Scuola Politecnia di Design de Milão (Itália) em 2016. O projeto, em colaboração com a própria Ducati, acabou voltando à cena por conta de uma declaração de Claudio Domenicalli (CEO da Ducati) em um evento recente na Espanha, para estudantes de engenharia, dizendo “O futuro é elétrico, e não estamos longe de começar a produção de uma série de motos elétricas”.

Ducati Zero: seria assim a primeira Ducati elétrica?

Não é novidade que a montadora italiana tem investido forte em inovação nos últimos anos e um de seus objetivos a médio prazo, além de entrar no mundo dos veículos elétricos, é apostar no quesito segurança. Duas de suas promessas nesse sentido para até 2025 são o já corrente cornering ABS presente em alguns modelos (desenvolvido pela Bosch e prometido para todos os modelos a partir de 2019) e radares frontais e traseiros. O ABS em curva atua através de uma central eletrônica, sensores e atuadores para evitar que o motociclista trave as rodas mesmo em curva e com a moto inclinada. Já os radares prometem identificar de antemão perigos e obstáculos a frente e atrás e atuarem caso o piloto não tome nenhuma atitude em uma situação de perigo.

A relação da Ducati com veículos elétricos também não é exatamente nova. A empresa já produziu bicicletas elétricas em parceria com outras empresas. Uma destas iniciativas é uma mountain bike elétrica apresentada na EICMA em 2018, a Ducati MIG-RR, construída em conjunto com a também italiana Thok E-bikes.

Ducati MIG-RR: projeto conjunto com a italiana Thok E-bikes

Até mesmo Claudio Domenicalli (CEO da Ducati) já foi visto passeando por aí em uma Ducati Hypermortard convertida para propulsão elétrica utilizando um motor da Zero FX, modelo elétrico  da proeminente montadora americana Zero Motorcycles.

Ducati Hypermotard adaptada para rodar com motor elétrico da Zero FX
Zero FX: uma californiana que emprestou seu motor a uma italiana

A ideia do projeto da Ducati Zero veio  do brasileito Fernando Pastre Fertonani e do holandês Bart Heijt como parte de sua formação acadêmica no curso de mestrado em transporte e design de veículos na instituição italiana.

Segundo Bart Heijt, a ideia é de uma superbike leve e pequena e, claro, movida a eletricidade. O design geral partiu das possibilidades criadas pelo novo propulsor (mais compacto) dando margem para uma forma mais minimalista. A inspiração primeira é de um ataque de uma cobra com linhas que sugerem um movimento rápido e agressivo à frente. Há alguns detalhes interessantes como o logo “Zero”, presente na carenagem lateral da moto, mudar de cor de acordo com os três modos de pilotagem selecionados sendo que as três cores são as cores da bandeira italiana (verde, branco e vermelho)

O motor elétrico também é orgulhosamente exibido por uma parte transparente da moto assim como existem grandes entradas de ar frontais para resfriarem as baterias.

Veja os concepts de Fernando Pastre (você pode ver o projeto todo aqui)

Veja o vídeo da moto conceito Ducati Zero

O trabalho da dupla acabou inspirando outros designers a arriscarem como seria uma elétrica esportiva Ducati. Em 2017, o designer indiano Roshan Singh também esboçou seu próprio conceito.

Porém, se uma Ducati elétrica chegar em curto ou médio prazo, terá de brigar com quem já está no mercado de motos esportivas movidas à eletricidade há algum tempo e com muito know-how. É o caso da italiana Energica Motor que fabrica motos elétricas esportivas desde 2014.

Energica Ego: a primeira Ducati elétrica já tem uma rival rodando.

A Energica Motor Company iniciou sua operação em Modena na Itália em 2010 e foi oficialmente fundada em 2014. A empresa pertence ao grupo italiano CRP, especializado em tecnologia de ponta e de alta precisão (como impressão 3D) e atuando em ramos que vão desde o automotivo até drones e componentes para tecnologia de exploração espacial.

Além de rivalizar com a Energica, a Ducati também vai enfrentar uma concorrente de cinema, uma esportiva de luxo elétrica, chamada ARC Vector. Você pode ler sobre a ARC Vector aqui.

Seu modelo ponta de lança é a EGO com 145 cavalos e alcançando 240 Km/h.

Com informações de: thedrive.comelectrek.cofuturism.com