Vyrus: uma das motocicletas esportivas mais exclusivas e tecnológicas do mundo

COMPARTILHE

Algo que todo motociclista aprende mais cedo ou mais tarde é sobre a paixão dos italianos pelas duas rodas. É de lá que saíram pilotos lendários como Giacomo Agostini e Valentino Rossi. É também na Itália onde a Ducati, frequentemente chamada de “Ferrari” das motocicletas, foi concebida e estabelecida. E não poderia ser diferente o fato de uma das motos mais exclusivas e ousadas da atualidade também ser filha da terra berço da civilização romana.

Na pequena localidade de Coriano, com pouco mais de 10.000 habitantes, no nordeste da Itália, fica a fábrica de sonhos fundada em 2001 por Ascanio Rodorigo, ex-técnico da marca italiana Bimota. A propósito, Coriano foi a cidade onde o falecido piloto Marco Simoncelli cresceu e passou boa parte de sua vida.

Mas a história da Vyrus vem de uma outra história, de quando o projeto Tesi nasceu dentro da Bimota, empresa fundada em 1973 com ninguém menos que Massimo Tamburini como co-fundador, conhecido por ser o engenheiro responsável por projetos icônicos para a Ducati, Cagiva e MV Augusta. A tal Tesi era um projeto do engenheiro Pierluigi Marconi e que se concretizou em 1990 na forma da Bimota Tesi 1D. Sua principal característica era uma suspensão dianteira completamente diferente, sem a utilização de garfos telescópicos e, no seu lugar, uma espécie de balança dianteira e um sistema de esterço guiado por hastes. Mas o coração da tecnologia era na verdade o mecanismo de virar a roda dentro do cubo dianteiro. Era o chamado hub-center steering. E é justamente esse sistema, aliado a outras inovações tecnológicas, que caracteriza as atuais Vyrus. Mas é preciso deixar claro que a inovação não é exatamente uma grande novidade e nem tampouco exclusiva da Bimota. A Bimota tem seu mérito por evoluir o sistema que já existia em formas mais rudimentares desde os anos 10 e 20. Além disso, outras fabricantes também lançaram suas versões com diferenças de projeto como, por exemplo, a Yamaha em 1993 com sua GTS 1000.

Bimota Tesi 1D: o começo
Yamaha GTS 1000: uma variação do sistema de suspensão dianteira sem garfo.

A Bimota, ao longo de sua história financeira conturbada, acabou sendo ressuscitada por investidores após sua primeira queda e colocou mais dois modelos nas ruas baseados em sua Tesi, A Tesi 2D e a Tesi 3D. Modelos aliás que são exatamente as Vyrus de Ascanio, com algumas modificações e adaptações, devidamente negociadas e licenciadas para a Bimota. O status atual da companhia é ter sido comprada em parte (49%) pela Kawasaki em 2019.

Bimota Tesi 2D: exclusividade em série
Bimota Tesi 3D: uma Vyrus licenciada

Na primeira falência da Bimota em 2000, por conta de falhas de projeto na Bimota V-Due, uma 500cc 2 tempos capeta, e pelo sumiço de um patrocinador no campeonato de Superbike, Ascanio Rodorigo decidiu levar o projeto Tesis adiante por conta própria e fundou a Vyrus. E foi aí que nasceu a ideia de uma moto exclusivíssima, com tecnologia de ponta, construída artesanalmente e dedicada especificamente aos bolsos mais recheados.

Bimota V-Due: uma das responsáveis por deixar a empresa em maus lençóis

A produção começou com um único modelo, a Vyrus 984 C3 2V. A moto protótipo foi apresentada em janeiro de 2002. Assim como todas as Vyrus dali em diante, tinha como principal característica o quadro construído especificamente para ela assim como uma grande quantidade de peças feitas uma a uma no processo de CNC e a utilização de materiais nobres com fibra de carbono. O motor era um Ducati bicilíndrico V90 de 80 cavalos.

Os modelos posteriores para produção de fato foram utilizando gradativamente motores mais potentes também da Ducati. O primeiro modelo disponível utilizava um motor Ducati bicilíndrico V90 de 992cc.

A grande diferença entre as Bimota licenciadas e as Vyrus é o capricho e a produção quase artesanal. Na fábrica, que é muito mais um ateliê, somente uma moto é construída por vez e com a possibilidade de personalizar muitas coisas ao gosto do comprador. A propaganda da Vyrus, ao contrário da prática de showroom da Bimota, é o boca a boca de gente com dentes de ouro.

Você pode, por exemplo, escolher parafusos de titânio no lugar de parafusos mais “comunzinhos”. Quer discos de freio de cerâmica? Tudo bem. O cliente manda. Rodas e sub frame de fibra de carbono? Tem também. E tudo isso, escolhendo e sendo orientado pelo próprio pai da criança, Ascanio Rodorigo. O requinte chega no nível da moto ser mapeada de acordo com a tocada e o nível de habilidade do seu dono.

Existe até o agradinho de gravar o nome do feliz proprietário no tanque, em tipologia exclusiva e casando perfeitamente com o grafismo da moto. Sendo assim, não existem duas Vyrus iguais rodando por aí. Mas essa exclusividade toda tem um preço. Os valores começam em 60 mil dólares em uma versão que você não vai poder escolher nada e vai ficar quietinho esperando pacientemente a moto ficar pronta.

Os modelos atuais disponíveis

Vyrus 984 2V

O modelo que deu origem a tudo. Utiliza um motor Ducati V 90 de 991cc.

Especificações técnicas

Vyrus 987 C3 4V

Para quem quer um pouco mais de emoção a 987 tem motor Ducati de 1198cc.

Especificações técnicas

Vyrus 985 C3 4V

Um meio termo : ) Utiliza um motor Ducati de 999cc.

Especificações técnicas

Vyrus 986 M2

Em 2011 houve um flerte com a categoria MotoGP2. Dele nasceu um projeto que pretendia utilizar o motor da Honda CBR600RR empregada na competição. Eram três modelos disponíveis: um pronto para pista, um para rodar nas ruas e um kit sem o motor com valores variando de 27 mil (o kit) a 90 mil (a moto de pista) dólares. O que realmente saiu do papel, em 2017, foi o modelo de rua batizado de 986 M2.

Especificações técnicas

Vyrus Alyen 988

Em 2020, a Vyrus anunciou seu novo modelo, a Aylen 988. Mesmo preservando seus componentes exclusivos e característicos, dessa vez a motocicleta foi em outra direção em termos de design. Utilizando o motor da Ducati Panigale 1299 de 1298cc, a moto é muito mais uma naked com jeitão de roadster do que uma esportiva. E com um visual bem futurista parecendo que saiu de algum filme de ficção científica (tenho minhas dúvidas se Alyen não seja uma referência a “alien”). Ela lembra um pouco, em porte e distribuição de volumes, uma Ducati Diavel.

Também houve um modelo meio estrambólico, uma mini Vyrus, a 07 EV, provavelmente pensada para a criançada “bem nascida”. A motinho utilizada um motor 2 tempos de 40cc e também contava com o sistema de direção característico das Vyrus. O brinquedo custava 5 mil dólares e poucos foram vendidos.

Vyrus pra criançada cheia da grana: 07 EV

Atualmente, no Brasil, existe UMA Vyrus rodando. Se você acompanha Motocultura, provavelmente sabe que levamos ela, uma 987 C3 4V, a única Vyrus brazuca, para o evento HOT RODS Brazil em São Bernardo do Campo (SP) em novembro de 2019. No espaço do Motocultura, os visitantes puderam ver de perto e no detalhe toda a tecnologia e imponência da italiana e de fato, foi a moto que mais chamou a atenção do público durante os três dias de evento. A gente rasgou o verbo pra explicar pra todos que colavam na moto pra explicar o que ela era e sobre todas as suas características (confira o vídeo abaixo).

Está é a VYRUS, uma moto incrível! Não se trata de uma customização, ela sai assim de fábrica. Porem, só é produzida sob encomenda e a mão. Cada um dos componentes são feitos um a um com a mais alta tecnologia em materiais e processos. Este exemplar é o único da marca no Brasil, e quem cuida desta belezinha de alguns milhares de euros, é a @s_r_corse que surpreendeu a todos os que visitaram o HOT RODS BRASIL MOTOCULTURA 2019 com a exposição inédita desta joia do design e engenharia italiana. Tem mais vídeos em nosso post do Instagram, da uma olhada lá.🏍🏍🏍🏍🏍🏍🏍🏍🏍🏍🏍🏍🏍🏍🏍🏍This is VYRUS, an amazing bike! This is not a customization, it leaves the factory as well. However, it is only made to order and by hand. Each of the components are made one by one with the highest technology in materials and processes. This copy is the only one of the brand in Brazil, and who cares for this beauty of a few thousand euros, is @s_r_corse that surprised everyone who visited the HOT RODS BRASIL MOTORCULTURA 2019 with the unprecedented exposure of this jewel of Italian design and engineering.#moto #motocultura #motocultura_duc #motoestilodevida #motocustomizada #motoclassica #caferacerbrasil #bratstylebrasil #scramblerbrasil #motorcyclelifestyle #caferacer #caferacerworld #caferacersofinstagram #vintage #oldschool #motorcycles #custom #cafeculture #vyrus

Posted by Motocultura on Wednesday, November 27, 2019

A filosofia da empresa criada por Ascanio é bastante clara. Inovação e desafio o tempo inteiro para produzir máquinas que são a perfeição em acabamento, qualidade e performance atendendo um mercado de luxo que, teoricamente, nunca está em crise.

Você pode entender um pouco mais sobre a filosofia da Vyrus assistindo ao vídeo abaixo.

Assista também (em italiano mas com possibilidade de legendas) um TED Talk de 2019 onde Ascanio fala sobre sua empreitada.

Por fim, vale dizer que o design das Vyrus provavelmente não pode ser considerado uma unanimidade. O visual super moderno e cheio de detalhes pode incomodar alguns pelo excesso de informação. Não dá para agradar todo mundo. Mas uma coisa é inegável, as motocicletas são um trabalho fantástico no sentido de construir uma obra de engenharia de alta tecnologia. Se você fosse o rei da cocada preta, encomendaria uma pra você? Conta pra gente!

COMPARTILHE